Talvez agora seja tarde demais, mas fiquei sabendo que esse negócio de blog é uma promiscuidade da porra, eu ponho seu blog no meu blog, aí você põe o meu blog no seu blog, aí nós dois botamos o blog de fulano nos nossos respectivos blogs e fulano faz o mesmo por nós, assim como sicrano e beltrano, que não poderiam ficar fora dessa, por mais que quisessem. Resumindo, é uma lambança entre blogueiros que faria corar o mais empedernido dos gomorritas.
Ora, por favor, sou um rapaz respeitável, de formação protestante tradicional, não devo ser exposto a esse tipo de putaria. A outros tipos, sim, podem expor-me à vontade.

Pois é. Aqui estou eu fazendo blog. Quem diria. Eu não queria fazer blog. Juro que não. Tô falando que não, porra! Imagina, fazer blog… Parece que é algum barulho que o cara faz. “Olha, aquele ali faz blog”. “Sério? Por onde???”.
Triste, triste. Mas meu cérebro anda sofrendo um ataque de escorpiões sádicos e eu preciso fazer algumas punções no pobre coitado pra deixar escorrer o veneno. Ou vai ver nem é nada disso, vai ver é só a viadagem de sempre.
De um modo ou de outro, sejam quais forem as conseqüências, a culpa é da Bárbara, que tanto insistiu para que eu me tornasse essa abjeção, um fazedor de blog. Humpf!