De volta às trevas

Em fevereiro deste ano, o Google resolveu inventar moda de novo. A Gringolândia tem lá seu plano nacional de banda larga. O Google resolveu palpitar nesse plano de um jeito bem legal: vai construir e testar uma rede de fibra óptica em algumas cidades que se inscreveram no projeto. O negócio é levar a fibra até a casa do usuário com banda de 1Gbps, e os provedores de serviço que se virem para decidir o que vão vender. Com tanta banda, dá pra colocar internet muito rápida, televisão, telefonia e o que mais o cara imaginar.
Fibra óptica é das coisas mais legais que já inventaram. Não tem nada de mais: é um tubo de vidro esticado até ficar bem fininho. Com vários tubinhos desses juntos e encapados, faz-se um cabo de fibra óptica. Esse cabo transmite dados na forma de pulsos de luz. É um negócio resistente, relativamente barato, eficiente. E serve para levar dados de um lado para outro.
Aqui no Brasil a gente demorou para conhecer as maravilhas da fibra óptica. Até o meio da década de 90, as telecomunicações estavam nas mãos gordurentas do Estado. Eu era estagiário da Telesp em 1993 e entrei numa central telefônica uma vez. Ficava no subsolo e você tinha de usar um protetor de orelha para entrar lá. A central chaveava todas as ligações dos bairros do Ipiranga, Liberdade, Cambuci e outros que não lembro mais. Cada ligação feita nesses bairros chegava à central por fios de cobre e fazia aquele tec-tec-tec de telefone de disco. Coisa da Idade das Trevas do estatismo, do Sistema Telebrás que vocês, jovens, tiveram a sorte de não conhecer.
Veio a privatização, hoje tem fibra óptica por todo canto. Só que as empresas são malandras: vendem pra gente pacotes de internet + TV por assinatura + telefone como se fossem necessariamente três coisas diferentes. Pois não são, ué. Tudo isso é informação. Com largura de banda suficiente, dá pra trafegar esses bits todos na mesma fibra óptica e vender como uma coisa só.
Daí vai que o governo brasileiro anunciou agora o Plano Nacional de Banda Larga. E quem foi que apareceu aí no meio? A Telebrás, que era a guardiã da Idade das Trevas, e que todo mundo achava que já tinha morrido. Eu achava também. Até o final de 2008, quando o povo da redação da revista onde eu trabalhava  descobriu uma alta absurda nas ações da Telebrás. Não conseguimos levantar nada na época. Parece que essas ações já subiram 22.000% desde que o Lula assumiu; quem tinha mil reais em ações da Telebrás na época pode vender tudo por 220 mil hoje e comprar uma casa. E agora ficou claro o porquê: segundo o tal plano, é a Telebrás que vai coordenar o negócio todo.
O governo diz que quer levar banda larga pra todo mundo, quadruplicar o acesso até 2014. Acontece que fibra óptica é que nem partido político: aceita qualquer coisa. Uma rede estatal de telecomunicações espalhada pelo Brasil com preço subsidiado. Sei não, sei não… Nada impede serviços de voz e TV por assinatura de trafegar por essa rede. O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, está todo empolgadinho com o projeto. Vi ele falando hoje na televisão; só faltou revirar os olhinhos. E falou um troço interessante hoje: “se a iniciativa privada tiver condição de fazer a última milha e fizer isso bem conectado com o nosso plano, com os incentivos do governo, ótimo. Se não fizer, nós vamos dar um jeito de fazer”. Olha aí o pensamento da Idade das Trevas.
Dia desses o Lula falou a mesma coisa da hidrelétrica de Belo Monte: “se as empreiteiras não fizerem, eu faço”, ou algo assim. A cada dia que passa, sinto mais forte um cheiro de repartição pública no ar, um futum de naftalina. É o Estado botando as manguinhas de fora, e não tem um Google que venha nos salvar.

10 comments

  1. É o estado, mais uma vez, se preocupando com o que não deve e deixando os investimentos em educação e saúde pra lá…
    Mas o pior é: Por quê? Para poder entupir essas “empresas” de gente inútil, incompetente, acomodada e com aposentadorias integrais, pra foder mais ainda a já precária previdência.
    Vejam o que aconteceu com a CSN e VALE. Depois de privatizadas diminuiram seus quadros de funcionários, aumentaram a produção e tornaram-se líderes em seus mercados. Por quê? Porque são geridas por profissionais que precisam manter a empresa competitiva para manter seus empregos e não por procrastinadores, com estabilidade do emprego e rabo preso com Coronéis e similares nacionais.

  2. Acredito que tudo isso de que o Estado tem que meter a mão e fazer o que supostamente estão demorando pra fazer por conta dessa crise: aquela coisa de “Estado mínimo” foi pro espaço depois deles terem que despejar bilhões no mundo todo pra salvar bancos, coisa que até uns tempos atrás, pro Estado, acreditava ser um sistema auto-suficiente sobre resolver seus próprios problemas.
    Agora que botaram a mão, resgataram os bancos e o Estado voltou a ficar com aquela roupagem de “vocês dependem de mim”, essa idéia de que tudo deve ser estatizado está voltando também.
    Eu espero, e MUITO, que os governos futuros não comecem a fazer as mesmas cagadas homéricas que Chávez e Evo fazem em seus respectivos governos: nacionalização/reestatização de empresas de economia mista/privada que controlam serviços de interesse e necessidade pública. Dispositivo legal pra isso já existe a muito tempo, só que desde que a Constituição Federal de 88 foi promulgada, esse dispositivo nunca foi usado. E que continue assim.

  3. E isso ai! O CPqD da telebras ja desenvolvia fibra otica nos anos 80.
    Nos anos 90 o pessoal do governo foi comprado pelas empresas,proibindo a expansao do sistema de telefonia bem como de banda larga com backbones FDDI e FAsNET e, mais adiante, ATM. A embratel e a propria TELESP jah tinham isso, sendo o predio proximo aos correios, na presidente vargas (RJ) planejado para tal.
    Ai privatizaram alegando incompetencia da servico publico. Venderam o sistema telebras por 13 Bi e arrestaram as acoes da telebras convertendo-as em papeis lixo sem valor.
    O roubo esta ai. Hoje o papel disparou, o governo diz q vai gastar 13 Bi e fazer o q as CONCESSIONARIAS deveriam fazer por obrigacao.
    E a galera bate palma aas emnpresas CONCESSIONARIAS e pedem banda larga de R$150, com traffic shapping e limite absurdo de trafego q torna efetivamente a conexao pior q discada.
    Muito bom,galera. Mudem-se para os EEUU e nos deixem com o mofo do governo

  4. Bom dia, em primeiro lugar, me desculpe por estar usando este espaço, para falar de algo que não tem nada a ver com o assunto,rsrs.
    Em segundo, eu só entrei aqui, pois vi que foi atualizado recentemente o que me criou a espectativa de ser respondida. Mas tentando ir direto ao assunto, conheci o Jesus… há algum tempo, mas agora mostrando o link para um primo resolvi voltar a ler e aqui conheci o Balde…, adorei, e já li todos os posts antigos, então o que gostaria era de saber se o blog acabou, ou se mudaram, pois o último lá já faz tempo, e acho q me viciei,rsrrs. Desde já obrigada pela atenção.

  5. O foda é que tem gente que acha que o estado tem que bancar sua preguiça, isso é de foder.
    O mofo do governo só é viavél pra vagabundo que quer mecanismos pra ficar encostado, pesando no bolso de quem trabalha, gera conhecimento e tecnologia e sustenta essa máquina pesada, morosa, permeada de “afilhados” (vide recente gravação do Tuma Jr., filho do Corregedor e Membro nato do Conselho de “Ética” e “Decoro” do Senado) e outras figuras.
    Ao invés de eu e os demais trabalhadores, pagadores de impostos nos mudarmos para onde quer que seja, mudem-se os inúteis procrastinadores acomodados para Cuba, Colômbia, Venezuela ou onde quer que o estado os sustente.

  6. E isso ai, marcel.
    Os ladroes que vivem as custas do governo como a telemar/OI, telefonica, Globo, Votorantim e a corja de coroneis que compram lulas, FHCs, Colors, Sarneys vivem as nossas custas, comprando com dinheiro do BNDEs, nosso proprio $$$, a juros ridiculos e a perder de vista o q o Estado levou decadas para construir. A geradora de Belo Monte e mais um exemplo de como nesta colonia as coisas sao mantidas em um circulo de familias escravocratas. A banda larga da Globo, Telemar, Telefonica e RIDICULA a preco de assalto a mao armada. Isso e o maior estelionato atual. E ele ocorre mensalmente.
    Cuba, colombia e, e claro, Guantanamo neles!

  7. Não confio nessas convergências de funções, como a Net que vende TV por assinatura, internet e até Net-fone, tudo numa taca só (de uma empresa só). E se der pane na net? Dá pane em tudo! Aqui em casa, a net fornece internet e tv (sem contar um aparelho de tv que deixamos na antena de tv aberta).
    Se caiu a internet, caiu a tv, e vice-versa. Ainda bem que não colocamos o telefone na parada, pois seria um meio de contato a menos com o mundo lá fora. No apagão, todos viram o valor do rádio am/fm. Nessas convergências que você descreveu na fibra-óptíca, será igual. É como o pateta que tem num único aparelho, as seguintes funções: telefone, agenda, internet, câmera, arquivos. Se quebrar o aparelho, o cara quebra também!

Deixe uma resposta para Spoks Cancelar resposta