Barganha

Uma das várias divisões possíveis da população mundial: aqueles que têm dinheiro e aqueles que sabem escrever. São dois grupos bem distintos, e desconheço qualquer intersecção entre eles (“E o Paulo Coelho?”, alguém dirá, o que só serve para reforçar minha tese). Vez por outra o primeiro grupo precisa dos serviços do segundo. Para isso, mostram-se dispostos a abrir mão de uma ínfima parcela de seu rico dinheirinho em troca de meia dúzia de frases mais ou menos bem alinhadas.
Pois bem: sem emprego formal, eu dependo cada vez mais desses escambos de palavras por vil metal. Se vocês souberem de algum lance desses (matérias para jornais e revistas, textos diversos, traduções canhestras, biografias por encomenda, top secret ghost writings), avisem-me. Estou feito o Maníaco do Parque quando sair da cadeia: pegando qualquer coisa.

14 comments

  1. Putz! Muito muito boa sorte, infelizmente ñ tenho nada para te indicar, mas espero que logo apareça algo.
    Senão a preocupação sobre o que você faz ou ñ faz com seu corpo pode se tornar verdadeira. =D
    Sério mesmo, boa sorte na caça de trampos!

  2. Pense bem, poderia ser pior…
    Você poderia ser um comissário de vôo desempregado(eu).Nas horas vagas poderia ser artista falido(eu).
    Logo vou precisar de uma macumba e não uma simpatia, imagine um monte de mouses enrolados em metros de fio dental em uma encruzilhada.

  3. Cria uma conta no e-bay. toda vez que vc receber cinco dolares, escreve um post bíblico. Faça as contas de quanto dinheiro você vai ganhar até sacanear toda a bíblia.

  4. Alá! Num falei? Pronto, Marcurelha! Teus problemas acabaram! E o Fernão tá certo, vai ser rápido e, quiçá, indolor… Vai lá, manda um email pro Koelho, manda… No mínimo, vai render um post hilário!

Deixe uma resposta para Melia L. Cancelar resposta