Ganhei!

Lembram-se do furdunço com o iG e o Santander? Aquele negócio de mandar fax e ser mal atendido? Então: resolvido. A reclamação que eu registrei contra o Santander no site do Banco Central deu resultado. Esta semana o banco depositou o dinheiro na minha conta, um valor muito maior do que eu esperava.
Minha irmã trabalha no iG, meu irmão trabalha no Santander, e eu sou editor de um site chamado Consumidor Moderno (em breve com nova cara). Pois não fui aporrinhar meus irmãos nem dei carteirada de jornalista em ninguém. Resolvi tudo pelos meios convencionais.
Imaginem se, por exemplo, eu tivesse pedido uma forcinha pro meu irmão. Todo correntista do banco que eu conheço ia querer encher o saco do moleque. Ou que eu publicasse uma reclamação no site ou na revista Consumidor Moderno? Todo mundo ia querer que EU resolvesse suas pendengas por aí.
Então, o que aprendemos hoje, crianças? Aprendemos que problemas podem ser resolvidos sem precisar de jeitinho nem forcinha. É assim que se constrói um país sério.
Por hoje é só. Até a próxima lição.

21 comments

  1. Eu o felicito, ó, guru!!! Sério, Marco!!! Se todas as pessoas tentassem resolver as coisas pelos métodos convencionais haveria, creio, mais Justiça. Ninguém ia ficar prejudicado pelo fato de não possuir um conhecido influente. Essa é a maior desgraça de morar no interior: aqui na minha cidade vigora a “familiocracia”, se é que você me entende… Só tem chance quem tem padrinho… Isso me revolta!!! Mas fazer o quê? Metralhar os caras importantes (meu desejo secreto)? Acho que não… Estamos lutando sempre, cobrando dos vereadores e do prefeito atitudes, principalmente contra o “nepotismo dos apadrinhados”… Ainda não adiantou muito, mas esperança é a última que morre, né? Então a gente continua lutando contra o ridículo QI dos amebas. Abraço.

  2. Boa Marcão
    São ações como as suas que vão fazer esse país prosperar e entrar nos eixo.
    E por falr nisso, to com um probleminha com o Santander, tem como passar o contato do seu irmão???
    hahahahahahahah

  3. Bom dia, boa tarde, boa noite…
    Mais uma vez; Vitorioso e Indescartável guru sapiente de todas as coisas no zodíaco infindável, vossa reverendíssima deu uma aula de como virar a mesa sem utilização da lei de Gerson.
    Minotaurescas congratulações.
    Abraçãozão!
    JR¨__¨JR

  4. Caro Sr. Marcurélio.
    Venho, por meio deste comentário, resolver uma pendência que deixaste neste blog, demonstrando falta de consideração com os leitores que votaram no seu vídeo no post do último dia 08.
    Cadê o capítulo bíblico novo, porra ???
    Caso não atenda esta única reivindicação, vou processá-lo pela simples falta do que fazer.
    Tenho dito. Humpt !

  5. Acabo de conhecer seu Blog. Super bacana: conteúdo, leiaute, e claro, o nome, uma expressão de que muito me utilizo no dia-a-dia. Gostei da mensagem deste post, estou olhando com calma os outros ainda, mas serei assíduo, pode ter certeza. Meus parabéns.

  6. Caro Marco
    Cheguei aqui pela entrevista que deste na Gazeta, bem, pelo que botaram no site, mais exatamente. Adorei seu trabalho (ou hobby), apesar (e até por ser) um dos caras que acredita na Bíblia. Sério, você deveria publicar um livro com isso, não, espera, livro não dá dinheiro no Brasil… Bem, enquanto pensamos em como fazer você ter havaianas com o nome da sua empresa, pode nos mandar outro post bíblico?
    Abraços

  7. Aê, Marco, como vai? Faço minhas as palavras no último comment do senhor Tiago: você prometeu capítulo novo! Faça o favor de cumprir. Ninguém é obrigado a prometer, mas se prometer é obrigado a cumprir!!! (imagine o Quico, aquele personagem bochechudo do Chaves, querendo alguma coisa) Ah, vai, diz que sim, vai, só uma vez, vai, diz que sim, não custa nada, vai só desta vez, siiiiimmm???
    Abraço.

  8. Marco, é por aí mesmo. Somos dependentes do jeitinho desde os tempos de colônia. Ações bem coordenadas, motivadas por ética e valores, tranformam o país. Demora? Sim, mas continuar a desgraça só nos empobrece. Valeu!

  9. Conheço outras pessoas que precisaram recorrer ao Banco Central para resolver pendengas com bancos e também foram atendidas a contento. É isso aí, se uma via funciona nesse país (e olha que isso não é comum…) temos que usá-la sim, e divulgar suas vatagens.

Deixe uma resposta para Alexandre Gomes Cancelar resposta