Câmera lenta

O pior do acidente foi que tudo aconteceu em câmera lenta. Vi o poste chegando, chegando, beeem devagar. E pensava:

— Viiiiiiixe, o pooooooooooosteeeeeeeeee…
Então houve o impacto e eu senti a traseira do carro levantando, a frente se retorcendo e o bicho girando.

— Foooooooodeeeeeeeeeeeeeu. O ciiiiiiiiiiiiinto nãaaaaaaaaao agüeeeeeeeeeenta…
O cinto agüentou, porém, o banco foi jogado pra trás e eu fiquei balangando pra lá e pra cá por um tempo (mas muito lentamente). Vi pedaços do volante e do painel voarem em câmera lenta, e então o mundo voltou a sua rotação normal.
O negócio é que agora eu revivo a cena em todos os seus detalhes. Retrocedo a fita, avanço rapidamente, depois em slow motion, depois quadro-a-quadro. Com o tempo, a coisa sofisticou-se: agora vejo a cena do meu ponto de vista, depois de trás do carro, depois da calçada oposta, depois do ponto de vista do pobre poste.
O resultado é que eu não durmo, então acho que vou atormentá-los com outro post sem pé nem cabeça (ao contrário deste que vos fala, que milagrosamente tem pé, um exagero de cabeça, e tudo intacto entre os dois extremos).

No último post (post, e não poste, seus engraçadinhos), o Leandro Gambim fez um comentário sarcástico perguntando se eu tinha agradecido a Deus por sair bem do acidente. Para minha própria vergonha, devo confessar que sim.

16 comments

  1. Esse é o segundo sinal que te mando para ver se você para de brincar com textos sagrados, já que parece que você não entendeu o primeiro. Vê se aprende, porra!

  2. Uau… que droga!!! Tenho carta de motorista há três anos e nunca sofri um acidente… No entanto, tenho quase certeza que o dia em que acontecer, vou entrar em pânico, não vou saber exatamente o que fazer para amenizar a situação e vou relembrar a cena milhares de vezes… Por que eu penso que um dia vou sofrer um acidente??? Talvez porque os meus amados parentes adoram ficar me enchendo com alguns comentários impertinentes: “Cuidado! Os postes não são de borracha!”, “Vc acha que comprou a rua, é?!”, “Qualquer hora vc enrosca em outro carro…”, “Enquanto vc não aprender a dirigir, todos os outros motoristas estão correndo risco!”, “Ah… desculpe, mas eu não tenho seguro de vida…”, etc. Enfim… esta sensação de que tudo aconteceu bem devagar é uma droga, né?! Mas vc vai superar!!! Vc vai ver!!! A primeira batida a gente nunca esquece…

  3. Sensacional!! Mas e o carro?? destruiu muito?? Dá pra arrumar?? puxa, espero que sim. É muito triste ver a vida de um carro acabar em um poste qualquer. Oremos..

  4. Da série “Eu, Leitora”: Eu acabei com a frente do carro que tinha acabado de comprar, poucos dias após ter passado na prova de direção. Estava indo buscar a carteira. Foi broxante, mas isso passa e agora já dirjo sem representar perigo para a sociedade … :o)

  5. véi..esquenta não..já bati o carro tbm..e tudo aconteceu desse jeito..parece aquela ultima fase do need for speed..vc ta quase ganhando mas ae bate..e ae é foda…mas eu sei que falar que isso ae vai passar não vai adiantar porra nehuma.. então..ah então relaxa porra!

  6. Marcos, durante um bom tempo ainda vai ficar assim.
    Em final de 2003 um ônibus bateu no carro do meu marido. Até hoje a cena vem à minha mente, principalmente na hora de dormir. Até hoje… O ônibus batendo na porta trazeira (atrás do carona – eu), o carro girando de lado e o ônibus vindo em minha direção.
    Não nos machucamos, mas a lateral (do carona) acabou.
    O pior depois foi tomar um cano tanto da seguradora quanto da empresa de ônibus e o “guardinha” ainda insinuando que o louco do meu marido resolveu enfiar o carro na frente do ônibus com a família dentro… Mãe, esposa e sobrinhas.

  7. Estou bastante ausente de leitura de blogs… Soa meio estranho eu perguntar aqui se você está bem depois de mais de uma semana de acidente, assim como soa estranho eu perguntar aqui isso se você está no meu MSN. Mas eu não te vi on line ontem ou hoje, então resolvi usar o blog mesmo. Como você está agora, depois de uma semana de acidente? Estou me sentindo uma besta por perguntar isso aqui, mas “eu só quis dizer”… Tenho saudades. De você. Muitonas. Por que a gente “sumiu” um da vida do outro? Nhé.

  8. ah, o meu foi ainda mais cretino: saindo de uma curva devagarinho ( uns 50Km/h ) peguei uma poça d’água e rodei no meio da estrada 180 graus ( teriam sido 360 graus se o “guard-rail” não tivesse me parado ) e estourei o lado do carro… resultado: duas rodas tortas e o capô que não fechava mais… mas passa.

Deixe uma resposta para Deus Cancelar resposta