Sonho

A situação foi ficando difícil, nada de aparecer emprego, então fui trabalhar num pesque-e-pague aqui perto de casa. Mas nada de trabalho ao ar livre: era um pesque-e-pague indoor, ficava nos fundos de um boteco, meio clandestino. Eu acordava ainda de madrugada e ia para lá. Meu trabalho era pescar peixes ensinados com iscas preparadas, de modo e estimular os outros a continuarem gastando seu dinheiro. Resumindo: o negócio era feito um cassino, mas com minhocas em vez de fichas.
Depois de um dia particularmente cansativo, cheguei em casa e estavam todos tristes: meu irmão havia sido preso. Foi comprar folhas de maconha (tão bonitinhas…) com cheque. O cheque voltou, aí fodeu tudo: prenderam o moleque. Aquela choradeira em casa, saí para dar uma volta. Passando em frente ao pesque-e-pague, encontrei Daniel Lima, que fazia uma matéria para TV. Era um programa desses jornalísticos/policiais e ele dizia:
— A mídia é complacente com Danielle Iwoa. Essa menina tem que ir pra cadeia!
Danielle Iowa era a filha do japonês, e estava envolvida no esquema de compra de folhas de maconha com cheques sem fundo. Tá, eu sei que Iowa não é exatamente um nome japonês, mas foi o que se pode arranjar pro sonho. Fui falar com ele:
— Ô, Menezes. Pegou pesado com a menina.
— Eu sei, mano. Mas é meu trabalho, não posso fazer nada. Ó o texto aqui, ó.
Desencantado com um Daniel vendido ao sistema, voltei para casa. Lá me esperava um neguinho que me olhou de cima abaixo e disparou:
— Cadê teu irmão?
Parecia a cena de Cidade de Deus, quando o Dad… Digo, o Zé Pequeno vai até a casa do Mané Galinha e é atendido pelo irmão.
— Meu irmão vacilou. Que nem você.
— Eu? Quando foi que eu…
Mas nem teve tempo: apliquei-lhe uma chave de braço e o bicho caiu duro na calçada. Foi como uma senha: foi ele cair para surgirem chineses de todos os lados. Comecei a lutar com eles. Para minha sorte, o japonês meu patrão ouviu o barulho e veio me ajudar. Depois de distribuir muita cacetada, derrotamos os chineses. Antes de entrar em casa, comentei com o japa:
— Odeio lutar com chineses. Você bate neles, e quando pensa que acabou eles surgem aos magotes vindos sabe-se lá de onde.
Nessa hora eu acordei, espantado por ter usado aos magotes num sonho. Bah, queria saber o que acontece depois.
Antes de encontrar o Daniel, eu tinha passado por uma rua aqui perto e vi uma garota linda vindo na minha direção. Como era sonho mesmo, fui conversar com ela. A menina foi muito simpática, mas se despediu dizendo:
— Se você voltar com o Emotionrélio, eu fico com você.
MAS QUE PORRA!

26 comments

  1. Caralho quando eu iria comprar maconha com cheque, só no seu sonho mesmo.
    E outra, do jeito que sou lá na vila, compro se quiser até sem dinheiro

  2. Cassete!
    Como você tem esse tipo de sonhos? Tu cheirou uma carreira de pó de xereca?
    Putz!
    Beijundas!
    (Haja alucinógenos)
    Obs: O que é Emotionrélio?

  3. Ha. Comprar maconha com cheque, só em sonho. Ah, nao, teve o prego (gato, mas prego) do Marcelo “Viriatto” Antony que teve as manha de fazer isso lá em Porto. Prego é foda.

  4. Eu já sonhei que estava na guerra, só que do lado japonês. Eu estava em um avião, do qual eu não tinha nenhum controle. O porta-aviões americano era uma pista de asfalto no meio do oceano, sustentada por quatro estacas, uma em cada ponta. Depois de passar por cima da pista, só lembro de olhar pra trás e ver fumacinha preta subindo. Acho que estou jogando simulador de vôo demais…

  5. http://www.euvimparaconfundir.zip.net
    Pulei.
    10º andar. Almeida peladão.
    9º andar. Lucinha, a gostosa de calcinha.
    8º andar. Dona Gertrudes e seus gatos.
    7º andar. Taís e o tarô.
    6º andar. – Meu apartamento tá uma “zona” !
    5º andar. – Ainda não alugaram este apartamento ?
    4º andar. – Vai se foder cachorro de merda !
    3º andar. – Pô ! Que quadro bacana !
    2º andar. – Puta sonzeira ! Rolling Stones é demais !
    1º andar. As velhinhas do 101.
    Térreo. – Uau ! O céu é do caralho !

Deixe uma resposta para O ébrio Cancelar resposta