Sansão continua infernizando os filisteus

(Juízes 15:9-20 e 16:1-3)

No último capítulo, deixamos Sansão escondido na caverna de Etã. Seu sossego não durou muito, porém: os filisteus, furibundos com o prejuízo causado pelo Rambo israelita, acamparam em Judá e atacaram a cidade de Leí (leí, em hebraico, é queixada. Vocês já vão entender o porquê). Os homens de Judá ficaram indignados:
— Ei, cês tão loucos? Por que nos atacaram, se estávamos aqui na boa, sem mexer com ninguém.
— Louco é esse tal de Sansão aí. O filho da puta fez a maior bagunça na nossa terra, e viemos aqui para prendê-lo.
— Ai, caralho… O Sansão é um abusado, está prejudicando a gente assim. Esperem aí, vamos falar com ele.
Então três mil homens de Judá foram até a caverna falar com Sansão.
— Ô, maluco.
— Opa.
— Cê não sabe que os filisteus mandam na gente, porra? Por que foi mexer com os caras?
— Ué, eles mexeram comigo, eu só revidei.
— Sansão, Sansão… Você causa muitos problemas. Viemos aqui para prender você e entregá-lo aos filisteus.
— Hum… Tudo bem. Prometem que não vão me matar?
— Claro que não vamos te matar, oras. Que idéia besta…
— Então tá bom. Eu me entrego.
Espantados com a facilidade com que Sansão se rendera, amarraram-no com duas cordas novas e o tiraram da caverna. Quando chegaram a Leí com o prisioneiro, os filisteus vieram gritando ao seu encontro.
— OLHA LÁ O DESGRAÇADO! VAMOS TRUCIDAR ESSE FELADAPUTA!
E eles estavam mesmo dispostos a fazê-lo. Mas acontece que o Espírito de Deus se apossou de Sansão, e ele arrebentou as cordas como se fossem barbante queimado. Pegou uma queixada de jumento que estava jogada por ali e com ela atacou os filisteus, matando mil deles. Finda a matança, seguiu seu caminho cantando:

Com a queixada de um jumento
deixei mil filisteus mortos.
Com a queixada de um jumento
fiz montões e montões de corpos.

A musiquinha, improvisada, escondia um trocadilho: em hebraico, a expressão “fazer montões” soa parecida com a palavra “jumento”. Como vemos, Sansão tinha a sutileza de um Humberto Gessinger…
Mesmo cantando, porém, ele estava cansado. Matar mil homens usando só um pedaço de osso, convenhamos, é tarefa cansativa mesmo para um super-homem. Então ele pediu a Deus:
— Ô, Javé. Você permitiu que eu vencesse os filisteus dessa forma impressionante. Será que agora vai deixar que eu morra de sede e que meu cadáver seja carregado por esses incircuncisos?
Fosse outro cara, Javé responderia “Te vira”. Se fosse com a cara do sujeito, talvez dissesse “Então fala praquela pedra jorrar água”. Mas Sansão era diferente: era tão maluco e sanguinário quanto o deus a quem servia, então Javé disse “Pois não, Sansão!” e cavou um poço. Curiosidade: é a segunda vez na Bíblia em que vemos Deus sujando as mãos com terra (a primeira foi para fazer Adão). Vejam só em que alta conta ele tinha Sansão. Bom, ele matou sua sede no poço cavado por Javé (poço que recebeu o nome de En-Hacoré — “fonte daquele que ora”, em hebraico) e, em vez de ir descansar em Israel, resolveu voltar à Filistia para aporrinhar os filisteus mais um pouquinho.
Chegou à cidade de Gaza, uma das principais da Filistia. Não sentia mais sede, mas outras necessidades ainda o incomodavam, então arrumou uma prostituta por um preço bom e foi dar uma trepadinha (para sorte da puta, o Espírito de Deus não deu as caras durante o ato). Os homens de Gaza ficaram sabendo que Sansão estava na cidade. Julgando que seria mais fácil capturá-lo com sono e relaxado após uma noite de sexo, ficaram de tocaia no portão da cidade (imaginem o tamanho do portão), esperando que ele saísse ao amanhecer. No entanto, Sansão não esperou que amanhecesse: levantou-se à meia-noite, pagou a moça e saiu. Chegando ao portão, em vez de gritar para que a sentinela o abrisse, arrancou o danado com batentes, dobradiças, trancas e tudo mais, e saiu carregando o trambolho nas costas até o alto do monte em frente à cidade de Hebrom. Essa era sua idéia de exercícios matinais… Os filisteus, boquiabertos diante de tamanha demonstração de força, não tiveram coragem de persegui-lo.
Nada parecia capaz de derrotar Sansão. Mas, como diz aquela bela canção, “O bicho que mata o homem mora debaixo da saia”. A partir do próximo capítulo, veremos como se deu a decadência do herói bíblico.

A gravura de Sansão matando os filisteus foi retirada daqui. Que merda, só agora eu fui achar esse site!

17 comments

  1. Tudo bem, Marco?
    Seguinte: em “– Ai, caralho… O Sansão é um abusado, está prejudicando a gente assim. Esperem aí, vamos falar com eles.”, não são os homens de Judá, falando com os filisteus, sobre Sansão? Não seria então “…vamos falar com ele.” assim, no singular?
    Abraço!
    E não precisa aprovar isso aqui não, é só o toque mesmo, e o abraço (bom, já é mais do que fazem os ginecologistas…)

  2. Prá mim esse cara era um extraterrestre.
    Tipo aquele livro “Eram os deuses astronautas?” fala, saca? A historinha ficaria fácil, um extraterrestre “anjo” vem, engravida a terráquea, nasce o híbrido Sansão, que a base da sua força extraterrestre ou armas de destruição (que devia se parecer com uma “queixada”),detonava todos. Tipo Elias indo pro céu num “carro de fogo”…
    Não existe osso de burro que agüente ser tacado na cachola de mil camaradas sem quebrar!

  3. Luuuuuuuuz na passarela que lá vem elaaaa: DALILA!!! o/
    Mas cá pra nóis… o Espírito de Deus também se apossou da queixada de burro? Eta queixada porreta que aguentô tudo sem quebrá!!!
    E só pra finalizar: descobri o que acontece comigo nos dias de TPM.
    O ESPÍRITO DE DEUS SE APOSSA DE MIM!
    Não é lindo?
    😛

  4. Dean, eu não entendo essa tendência que certas pessoas têm de dar narrativas fantásticas e inverossímeis da Bíblia explicações que são ainda mais fantásticas e inverossímeis. Sansão, por exemplo, provavelmente nem existiu. Se existiu, a lenda tornou-se maior que o homem, como acontece sempre. Então podemos imaginar um cara forte de verdade, que enfrentou uns dez filisteus armado apenas de uma queixada de jumento. Com a história passando de boca em boca, e sendo ele um herói nacional, o número de filisteus foi aumentando.

  5. Marco, tem razão, deve ter sido uns 10 gatos pingados! Mas porque ele perderia a força ao cortar os cabelos ?? MISTÉRIO…
    Como eu adoro super-heróis e super-poderes, curto muito viajar em viagens como essas, principalmente se de quebra eu posso tirar um sarrinho dos que a levam a Bíblia ao pé da letra, falando que a primeira bomba atômica foi lançada em Sodoma e Gomorra, e que Jonas não foi engulido por uma baleia, e sim por um submarino!
    Let’s travel on the mayonnese!

Deixe uma resposta para **ðåñÿ** Cancelar resposta