Gosto irrepreensível

Acredito fervorosamente que se possa definir o caráter de um homem baseado em seu bom ou mau gosto. Tomemos como exemplo os filmes que vi recentemente: na quinta-feira assisti ao argentino O Filho da Noiva, na agradabilíssima companhia da Srta. Brisa. Na sexta à noite assisti Amélie Poulain aqui em casa. No sábado eu e Brisa voltamos ao cinema, dessa vez para assistirmos As Invasões Bárbaras. Ontem à noite revi O Filho da Noiva em DVD, na companhia de Daniela, deus, minha irmã Relssona e Denis Tonon.
E hoje assisti American Pie 3 – O Casamento.

17 comments

  1. É não tem como negar, somos parentes…
    considero o “Filho da Noiva” um dos mais bonitos filmes que já vi… é daqueles tipo de filme que termina e vc fica pensando que não devia terminar nunca…

  2. Marco, gostaria de confessar que sou assíduo no teu blog, que traz um conteúdo divertido, interessante e que me instiga culturalmente. Essa tua “promiscuidade” cinéfila só vem reforçar teu ecleticismo e subsidiar opiniões positivas e negativas, como deve ser, sem “achismo”. Parabéns pelo teu canto.

Deixe uma resposta para Brisa Cancelar resposta