A circuncisão em Gilgal

(Josué 5)
Quando o povo de Israel terminou de assentar acampamento em Gilgal, deus foi mais uma vez falar com Josué:
— Ô, seu bunda mole!
— Porra, Javé, pega leve.
— Pega leve o caralho, que eu sou é deus. Seguinte, tem uma parada aí pra gente fazer. A gente porra nenhuma, pra VOCÊ fazer, que eu não vou sujar minhas mãos. Pra começar, cê vai fazer umas facas de pedra.
— Facas de pedra? Pô, não fode! O neolítico ficou pra trás faz tempo, eu posso muito bem fazer facas de metal.
— Eu sei que você pode, Josué. Mas acontece que EU não quero. Facas de pedra dão mais trabalho e eu me divirto vendo vocês se lascando. Sem trocadilho.
— HUMPF. E pra que as tais facas?
— Então. Aquela geração que saiu do Egito há quarenta anos morreu no deserto; só você e o Calebe foram poupados por mim. Aliás, é bom que você nunca se esqueça disso…
— …
— O negócio é que morreram todos, e os que nasceram no deserto não foram circuncidados. Aí…
— Ah, não!
— Ah, sim! Você vai botar todo mundo em fila e circuncidar um por um.
— COMO É QUE É???
— Não grita comigo, puto.
— Er… Como é que é? Cê quer que eu corte a pele do pau de mais de 600 mil homens???
— Ah, cê pode escolher uns ajudantes.
— O problema não é esse, porra! E eu lá vou ficar pegando em rôla, Javé???
— Vai sim, oras. E sabe por quê? PORQUE EU TÔ MANDANDO, CARALHO!
Diante da força retórica de tal argumento, Josué não teve escolha: arrumou uns negos para ajudá-lo e começou esse servicinho do caralho — literalmente —, assim como Abraão havia feito quando da instituição da circuncisão. O povo ficou acampado até que todos os homens sarassem. Imaginem só: alguns amigos meus operaram fimose já na adolescência ou na vida adulta — não vou citar nomes, portanto o Tonon e o Loxinha podem ficar tranqüilos — e passaram alguns dias em casa de molho, com o júnior cheio de pontos. Não gosto nem de pensar como deve ter sido lá em Gilgal, sem anestesia antes nem sutura depois. Credo.
Bom, depois da Operação Corta-Pica, Javé voltou a falar com Josué:
— Muito bem, muito bem! Que maravilha ver esse monte de marmanjo falando fino e gemendo de dor. Parabéns, Josué. Belo trabalho. Hoje finalmente a vergonha de ter sido escravizado no Egito foi tirada de Israel.
E foi por causa dessa frase que aquele lugar passou a se chamar Gilgal, que em hebraico significa “tirar”. E ali na planície de Gilgal, pertinho de Jericó, os israelitas comemoraram a Páscoa na noite do dia catorze. No dia seguinte começaram a comer o que aquela terra produzia. Finalmente, depois de quarenta anos comendo maná, o povo voltou a comer coisas normais e saudáveis; e o maná parou de cair do céu.
Por aqueles dias, Josué estava caminhando pelas cercanias de Jericó. Olhava para as muralhas espessas, os guardas em suas guaritas, as seteiras, e pensava: “Puta que pariu, vai dar um trabalho do cão entrar aí”. Distraído com seus pensamentos, esbarrou num transeunte.
— Opa. Desculpa aí, meu camaradinha, estava pensando na morte da bezerra e… — Josué interrompeu-se ao notar que o homem, muito alto e forte, estava todo paramentado para a guerra, de armadura, capacete, escudo e espada na mão — Ei, peraí. Você é do nosso exército ou é de Jericó?
— Nenhum dos dois, songomongo: sou o comandante do exército de Javé.
— O comandante? Quer dizer que você é o…
— Eu mesmo.
Josué então, como bom puxa-saco, ajoelhou-se e encostou o rosto no chão em louvor ao homem. Este, nada impressionado com a bajulação do líder israelita, ordenou:
— Pára de viadagem. E vê se pelo menos tira as sandálias, porque o solo em que você pisa é santo.
— Ok, claro, sim, pois não, é pra já.
— VAI LOGO, PORRA!
— Opa, pronto, aí, já foi, descalço, olha só.
— Humpf.
Com esse muxoxo, o homem se retirou. E se vocês fossem mais espertinhos, já teriam sacado que se tratava do arcanjo Miguel. É possível que estivesse voltando da disputa com o diabo pelo corpo de Moisés, vejam só. É como se fosse um DVD: a cena do encontro de Josué com Miguel parece descontextualizada. Só que assistindo aos extras a gente vê em uma das cenas cortadas Miguel e o Canho disputando Moisés numa partida de truco, e tudo passa a fazer sentido.

13 comments

  1. Porra, o Tonon e o Loxinha deveriam ficar orgulhosos! Acabam de entrar no Velho Testamento segundo Marco Aurélio! E numa das passagens mais engraçadas! Ninguém vai esquecer que eles são “circuncisados”! E chega de exclamação!

  2. Baixo astral esse negocio de cortar pau.
    Mas baixo astral mesmo foi tua participacao no meninas veneno. Muito tosco aquele programa, so consegui assistir durante 10 minutos que eh o tempo que meu organismo tolera esse tipo de coisa.
    Agora Marco, tu eh mesmo um vacilao, devia ter posto uma camiseta do JMC para aparecer lah.

  3. PsychoPenguin, deve ser mesmo difícil ser tão influenciável a ponto de ter medo de assistir a mais de dez minutos de bobagens. Quanto à camiseta do JMC, talvez quando eu me tornar um imbecil completo…

  4. Oi Marco… Não é a primeira vez que eu venho aki, aliás, nem a segunda… nem a terceira… é que vc tá linkado no meu blog, e pra variar nem fez uma visitinha por lá…
    Enfim, adoro isso aki… e li (alguns posts abaixo) q vc lê a bíblia desde pequeno, e eu já havia notado uma semelhança neste Jesus do seu template… e o jeito de escrever… ou seja, é tudo de publicações evangélicas… então, me conta? Se vc conhece a bíblia, e no mínimo já frequentou igreja, pq tanta blasfêmia???
    Responde isso lá no meu bloggueenho…
    Beijos… e parabéns pela criatividade =D

  5. Manu:
    1. O Jesus do logo não é de publicação evangélica nenhuma. Foi desenhado pelo Loxinha, meu amigo há quase treze anos, como um presente especial para mim, pelo qual sou eternamente grato.
    2. Minhas blasfêmias a incomodam tanto assim?

  6. Entrei aqui algumas vezes e adorei….
    Numa época atrás eu fiz parte de uma seita chama a ” Igreja de Cristo “, são conhecidos como o movimento de Boston e hoje Igreja de Cristo Internacional, caralho me fudi! não sabia que tinha entrado numa seita cara….os caras lá não deixavam a gente vê as muié, tocar punheta, falar putaria e sacanagem e sexo nem pensar…..só depois do casamento( puritanos )….quase morri naquele lugar era muito cheio de dogmas, paradigmas e tradições….
    Putz! ainda bem que me livrei desta…..e gostaria muito que eles lessem seus textos, só para tirar uma da cara deles.
    Um grande abraço,
    G.Galante

Deixe uma resposta para bobmacjack Cancelar resposta