Metástase

“Arranca!”, você disse, ao mesmo tempo em que fazia o gesto brusco de quem tira com força e raiva algo de dentro do peito e o lança longe. Referia-se, claro está, ao tumor que é este sentimento que tenho por você. Nem sabia que o tumor ainda estava lá, mas apenas porque ele tinha parado de doer nos últimos tempos. Ausência de sintoma nem sempre significa cura, e nesse caso a pausa era apenas preparação para um ataque pior. Você sabe que isso só pode me fazer mal, daí o seu enfático “Arranca!”.
Pois bem, vou arrancar. Não assim, de repente. Gostaria que fosse assim. Mas outros tumores do mesmo tipo já corroeram muito aqui por dentro, e não resta muito tecido saudável; não posso me dar ao luxo de perder mais nada. Preciso de uma cirurgia cuidadosa, delicada e lenta. Não sei se vale a pena também: a cirurgia já foi feita incontáveis vezes, e a metástase sempre ocorre. O câncer demora cada vez mais a se manifestar, não porque eu tenha ficado mais resistente, mas sim pela falta de lugar para plantar suas raízes.
Ainda dói quando você vai embora. Ainda sinto o velho nó na garganta, mas o empurro de volta com um copo d’água: homens não choram. Pensei em fazer quimioterapia a base de tabaco e álcool, mas o tratamento já se mostrou ineficaz em outras ocasiões. Não: a cura vem pela cirurgia, então arranco. Mas com cuidado, porque autoflagelação não é comigo. E preciso deixar espaço para que o próximo tumor se sinta confortável aqui dentro.

29 comments

  1. Talvez fosse a hora de se deixar morrer. Para poder renascer.
    E que o proximo sentimento nao sinta como um tumor, mas se pareca mais com amor.
    Afinal, ele nao merece nascer onde tudo ja foi tao pisado e maltratado, merece?

  2. Que dramático.
    Quer o quê? Passar a vida sem doer? Viver da metástase dos vazios, que é muito pior – eu bem sei? Dores e perdas rendem, pelo menos, boas literaturas e dizem o tempo todo que estamos vivos. Impossível estar vivo sem doer. A saída é o grito. Brigar com a dor só faz aumentá-la.
    É… Por egoísmo talvez, quisesse te ver bem, engraçado, piranho, pândego. Mas, por respeito, deixo suas palavras doerem em paz, já que não posso te colocar no meu colo e cantar: “All the lonely people, where do they all come from? All the lonely people, where do they all belong?”.
    A pior coisa que se pode dizer em situações assim é “não fica assim, não!” Seria subestimar o que o outro sente.

  3. Quem sou eu pra criticar qualquer coisa… Mas sou intrometido, e vou ter que falar. Não é a primeira vez que um dos seus textos mais subjetivos e sentimentais superam (em qualidade, beleza e forma) aqueles seus mais cerebrais e formatados pela criatividade necessária (como as passagens bíblicas, por exemplo)… Engraçado notar isso. Você acaba sendo mais autor por naturalidade do que por tentativa. O que é ótimo. Afinal, ninguém tenta ser escritor. Ou se é, ou não se é.

  4. Por menos que lhe conheça sei como se sente, pois tenho passado por algo assim. Tenho a mesma necessidade de uma cirurgia. Sinceramente não sei que palavras dizer para te confortar, assim como ninguém enconta palavras para o meu caso. Posso apenas desejar que sua dor passe logo e que possas ser feliz como mereces. Força Corélio!

  5. putz…
    já cansei de dizer que seu blog é bom pra caramba… e tabmbém não vou perder tempo elogiando o último post (pq todo mundo já fez isso…).
    Mas quero te pedir um favor… será que vossa Majestade poderia ir ao meu blog e comentar? dizer o que acha…!?
    seria uma honra para um blogueiro como iniciante como eu, ganhar umas dicas…
    Pô , não custa nada vai…
    valew

  6. putz…
    já cansei de dizer que seu blog é bom pra caramba… e tabmbém não vou perder tempo elogiando o último post (pq todo mundo já fez isso…).
    Mas quero te pedir um favor… será que vossa Majestade poderia ir ao meu blog e comentar? dizer o que acha…!?
    seria uma honra para um blogueiro como iniciante como eu, ganhar umas dicas…
    Pô , não custa nada vai…
    valew

  7. De que vale o amor se nao sofrer a dor.
    De que vale a dor se nao puder se valer do amor para passar essa dor.
    Arrume um novo amor, para a placar sua dor.
    Be happy!

Deixe uma resposta para Danilo Chavagóia Cancelar resposta