A escrita e o medo

A escrita é um lance estranho. Por exemplo, num post aí embaixo eu escrevi “Que o Risadinha morra agora. Mas o que é esse agora? O momento em que eu escrevi ou o momento em que cada pessoa que entrar aqui ler? Se a segunda opção for verdadeira, o Risadinha tá fodido…
Estava pensando nisso porque acabo de mandar um email pra uma certa garota. E no email eu digo um monte de coisas que já deveriam ter sido ditas, e estavam me engasgando. Deu um certo alívio mas… O que é um email enviado? Nada! Apenas uma demonstração de covardia. E ela não leu ainda. A mensagem está agora num servidor lá nos EUA, esperando pacientemente que ela a abra.
E isso me fez lembrar de um outro negócio:


Pois é… Meu pai é um medroso também. Mas deu certo.

23 comments

  1. Escrever sempre é complicado…. as palavras são complicadas. Já me ferrei muito por causa delas.. ou foram mal entendidas, mal espressadas ou muito bem entendidas (em excesso)…. Deveríamos nos comunicar por sinais!!! O Dedo do meio levantado, sempre vai significar a mesma coisa!!!!!

  2. Que bom que deu tudo serto! cenãum não te teriamus conosquo!
    Brincadeira Marcão! Mas esses bilhetes são fodas, pena que o único que eu escrevi foi pra terminar com a minha primeira namoradinha… ai ai…o medo pode ser usado para o mal tb hehehe

  3. Bilhetes são coisas interessantes. sempre se da risada depois de um tempo que se passa, contando a partir da data em que o bilhete foi enviado.
    Não é interessante como as pessoas perdem o senso de ridículo quando mandam um bilhete, carta ou qualquer coisa deste gênero ? Ainda mais quando se manda pra uma pessoa com a qual você quer manter um relacionamento amoroso !
    Chega de encher linguiça, um abraço !!

  4. Bilhetes são coisas interessantes. sempre se da risada depois de um tempo que se passa, contando a partir da data em que o bilhete foi enviado.
    Não é interessante como as pessoas perdem o senso de ridículo quando mandam um bilhete, carta ou qualquer coisa deste gênero ? Ainda mais quando se manda pra uma pessoa com a qual você quer manter um relacionamento amoroso !
    Chega de encher linguiça, um abraço !!

  5. Tive um namoro em que escrevi muuitas cartas, bilhetes, de todas as formas possíveis, até um livrinho eu fiz. Durou quatro anos.
    Já se passaram mais de dois anos, e só agora tive coragem de escrever algo mais profundo pra outra pessoa…
    Dava um sentimento estranho toda vez que queria… Parecia que já tinha dito tudo que podia ter dito a alguém.
    Caraca, eta tristeza hoje. Pra comentar isso em blogs! Arght

  6. Para todos os efeitos, o agora para o autor é o momento em que ele escreveu, e o agora para o leitor é o momento em que ele lê.
    O problema é quando o autor vai reler. Eu, pelo menos, me lembro do momento em que escrevi, rebuscando as emoções que me fizeram chegar à carta.

  7. Marco…
    Já fiz quase exatamente isso. Mas não enviei a mensagem por e-mail. Foi uma mensagem por pager e não recebi resposta por mais de um mês. Nem um telefonema. Depois recebi uma carta… mas tudo acabou bem. Conversamos e somos ótimos amigos… se bem que não era bem isso que eu queria. Mas tá valendo.. amizade é essencial. Boa sorte e conta depois como foi a recepção.

  8. Neguinho…bem louca a carta do seu pai!!! ….vou arrumar uma das cartas que o seu albino escrevia pra dona ruth…vc acredita que o veio pedia para um vizinho amigo do meu vô (acho que era seu Celcinho) escrever uns versos…aí ele reescrevia e mandava pra véia ?!?!?! ….hehehe…até que o portuga era esperto! a véia caiu…
    um abraço

Deixe uma resposta para Apollyon Cancelar resposta