As ofertas para a construção do Tabernáculo

(Êxodo 35 e 36:1-7)
Passada toda a celeuma (celeuma! Fazia tempo!) causada por seu purpurinado retorno, Moisés reuniu novamente o povo:
— Po-povo de I-I-IIIIIIIIsrael! Ja-Javé m-manda q-que vo-vocês g-guardem o sa-sábado c-como dia de d-descanso! Vo-vocês n-não t-trabalharão no sa-sábado, nem m-mesmo…
— Já falou isso aí!
— He-hein?
— Cê já falou isso aí!
— Velho caduco!
— Bicha!
— T-tá, c-calma aí. C-confundi as a-anotações aqui. D-deixa ver… Ah. Aham. PO-POVO DE I-I-I-I…
— Tá, tá, povo de Israel. Pega a partir daí.
— O-obrigado. Ja-Javé o-ordena que vo-vocês t-tragam o-ofertas pa-para a co-construção do Ta-Tabernáculo! A-aqueles q-que q-quiserem co-contribuir, p-podem vir e…
— Ofertas? Tá doido? Tamos na miséria, no meio do deserto, e cê quer que a gente traga ofertas? Nem a pau!
— P-porra, que po-povinho d-difícil. S-seguinte, Ja-Javé t-tá querendo u-uma ca-casa pra e-ele. S-se a ge-gente não fi-fizer a tal c-casa, ca-capaz dele fi-ficar p-puto… E vo-vocês já vi-viram o que a-acontece q-quando ele fi-fica p-puto.
— …
— É i-isso a-aí. A-além das o-ofertas, a-aqueles que ti-tiverem ha-habilidade de-deverão a-ajudar com s-seu t-trabalho.
Então o povo, que não era besta nem nada e não queria despertar a ira do temperamental Javé, começou a trazer ofertas para a construção do Tabernáculo: ouro, prata, bronze, linho fino, fios de lã, pêlos de cabra, peles de carneiro, madeira, pedras preciosas, especiarias. Já tendo uma boa quantidade de material, Moisés convocou Bezalel para ser o coordenador da construção do Tabernáculo, como deus tinha ordenado, tendo Aoliabe como seu ajudante. Os dois selecionaram os trabalhadores, pegaram as ofertas do povo e começaram a obra. Só que o povo, para se garantir, não parava de trazer ofertas. Então Bezalel e Aoliabe foram falar com Moisés:
— Porra, seu Moisés, assim não dá! Fala pra esse povo parar de trazer ofertas. Onde é que a gente vai enfiar tanto material?
— Q-quer que eu r-responda?
— É sério, seu Moisés! O que temos já dá e sobra para o projeto, se o povo continuar trazendo coisas vamos ter que superfaturar a obra.
Então Moisés ordenou que ninguém trouxesse mais ofertas. Teve nego que, cabreiro com a ira divina, ainda tentou trazer um pingentezinho de ouro, ou uma pedrinha de ônix. Mas Moisés garantiu que já tinham mais que suficiente para a construção do Tabernáculo, que transcorria em ritmo acelerado.

4 comments

Deixe uma resposta para Eduardo Cancelar resposta